PAINEL DISCUTE INSPEÇÕES DE SAÚDE DOS AERONAUTAS

Foi realizado em São Paulo, na última quinta-feira (31/8), um painel de discussão a respeito da recente interrupção das avaliações médicas de aeronautas por parte de hospitais ligados à Aeronáutica.

Como se sabe, tal mudança criou um inconveniente significativo para pilotos e comissários, sobretudo no que tange aos casos de afastamento da atividade profissional por motivo de saúde, visto que o INSS não dispõe de profissionais especializados em Medicina Aeroespacial.

Estiveram presentes quatro diretores da ABRAPAC – os comandantes Aldo Bien, Rodrigo Bertacini, Luiz Cabral e Luiz Perdigão -, assim como a advogada da Associação, Dra. Priscila Dower.

Representantes de SNA, ATT, ASAGOL, ABEAR, SNEA e ANAC compareceram à reunião, que também contou com a presença de diretores do Instituto Dédalo, da especialista em medicina Aeroespacial e do trabalho, Dra. Cintia Yoko Morioka e do Dr. Albert Rebello, da ANAC. O INSS foi convidado oficialmente para o evento, mas não enviou representante.

Os hospitais da Aeronáutica eram uma alternativa acessível e rápida para a revalidação de CMA e para as inspeções ligadas à previdência. O objetivo é substituí-los à altura. Para isso, diversas alternativas foram levantadas e debatidas durante o painel, sempre levando em conta o caráter ímpar da atividade aeronáutica, que tem pré-requisitos específicos de saúde, diferentes daqueles existentes para o trabalho em um escritório, estabelecimento comercial ou industrial.

As propostas e os argumentos técnicos serão levadas ao INSS, com a intenção de que o órgão colabore com a implantação de um protocolo que atenda as especificidades médicas da atividade a bordo de aeronaves.

Aguarde mais informações nos próximos dias. Lembramos as reuniões como esta última são abertas a todos os aeronautas que desejarem participar. Se você tem sugestões ou observações sobre o tema, escreva para safety@pilotos.org.br