ABRAPAC PRESENTE EM GRUPO DE ESTUDO DO ESPAÇO AÉREO

O DECEA realizou na última terça-feira (18/12) a segunda reunião do Grupo de Estudos sobre Planejamento do Espaço Aéreo (GEPEA).
 
O evento, realizado no auditório do Subdepartamento de Operações do DECEA, no Rio de Janeiro (RJ), reuniu controladores de tráfego aéreo, pilotos, além de representantes da comunidade aeronáutica e autoridades de aviação civil. A ABRAPAC foi representada pelo seu gestor de safety, Alfredo Menquini.
 
O GEPEA é um fórum permanente criado com o objetivo de reunir a comunidade aeronáutica para discutir oportunidades de melhorias na organização e gerenciamento do espaço aéreo brasileiro, por meio de estudos específicos.
 
Durante as apresentações, o Tenente-Coronel Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Clóvis Fernandes Júnior apresentou o programa de trabalho, que visa captar e entender as necessidades dos usuários, estabelecendo uma lista de priorização de trabalho, com foco na decisão colaborativa.
 
Na sequência, o Capitão Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Marcos Roberto Peçanha dos Santos discorreu sobre os projetos em andamento, entre eles, os Mínimos Operacionais de Aeródromo e a implementação de procedimento de aproximação baseado no conceito RNP-AR APCH ( Required Navigation Performance Authorization Required, Performance de Navegação Requerida) no Brasil.
 
Segundo o diretor assistente de Segurança Operacional e Operações de Voo da International Air Transport Association (IATA), Júlio Cesar de Souza Pereira, essa iniciativa é uma quebra de paradigma no âmbito mundial. “Teremos uma otimização da utilização de recursos, resultando em melhores práticas internacionais, sendo implementadas na segurança operacional e na eficiência das operações aéreas”.
 
Para formalizar a criação do Grupo de Estudos sobre Planejamento do Espaço Aéreo, os membros do GEPEA assinaram um Termo de Referência.
 
Membros do GEPEA: O GEPEA conta com o trabalho conjunto entre o DECEA, a ABEAR, a IATA, a ANAC, a ABRAPHE, o SNETA, a ABAG, a AOPA Brasil, a ABRAPAC e a ABUL.
 
(Com informações da Assessoria de Comunicação Social do DECEA)