CAMPO DE MARTE – CONFIRA COMO FOI A AUDIÊNCIA PÚBLICA

  

Na última sexta-feira (25), ocorreu na Helimarte em São Paulo, a Audiência Pública sobre a Aviação Regional partindo do Campo de Marte e o Fomento do Táxi Aéreo no Brasil. Organizada pelo deputado Coronel Marcos Tadeu (PSL-SP), a frente parlamentar contou com importantes representantes do setor, tal como a Infraero, DECEA, CENIPA, entre outros.

  O plano do governador de São Paulo João Dória (PSDB) de transformar o local numa área de lazer foi analisado pela comissão com desaprovação geral, alegando que o aeroporto é de grande importância para a aviação do Brasil, principalmente para uma metrópole como São Paulo, que não pode simplesmente dispensar um aeroporto já instalado por não haver locais para operar as aeronaves que utilizam o espaço.  

   O presidente da Associação dos Concessionários do Campo de Marte declarou que foi surpreendido com as ameaças de fechamento e acredita que um meio-termo possa ser alcançado. “Temos espaço suficiente para mantermos o aeroporto e ainda assim termos um parque aqui.”

    Já a Somaero-SP, representada pelo presidente Reinaldo Papaiordanou, levantou um dado importante sobre outros interesses do governo. “ A altura máxima das edificações de todo o entorno do Campo é protegida pelas normas da Organização da Aviação Civil Internacional. A saída do aeroporto acaba com esse gabarito, gerando um boom extremamente conveniente para o setor imobiliário.” 

  O Coronel Afonso, diretor geral da ABTAer, criticou as reduções da frota e a questão de segurança no aeroporto. “Até pouco tempo atrás, existiam cerca de 300 empresas de táxi aéreo, hoje são 120. A remoção do Campo de Marte trará ainda mais impactos econômicos. Outro motivo alegado são os acidentes, mas se for por isso, precisam fechar o aeroporto de Congonhas primeiro, dado que nos últimos 29 anos foram 299 mortes em CGH contra 17 no Campo de Marte.” (Dados disponíveis no Ofício ABTAER nº 171/2019).  

  Com uma visão otimista, o deputado Coronel Tadeu finalizou a sessão assegurando que a possibilidade é baixa. “Estou convicto de que em poucas semanas poderei afirmar que o fechamento das operações aqui não acontecerá.  Farei questão de trazer, inclusive, essa afirmação vinda diretamente do presidente Jair Bolsonaro. Espero que em 2020, possamos recordar o tempo que perdemos discutindo algo que nunca aconteceu” concluiu.  

   O Campo de Marte iniciou suas atividades em 1929, sendo a primeira infraestrutura aeroportuária de São Paulo, predominado pela aviação geral com tráfego de helicópteros e aviões de pequeno porte. Ainda hoje, apresenta a maior frota de helicópteros do Brasil e sua infraestrutura permite que São Paulo abrigue a maior frota do mundo desse tipo de aeronave. 

O presidente da ABRAPAC, Paulo Licati, conversou com o deputado Coronel Tadeu sobre a atual situação do Campo de Marte: